Após a derrota por 2 a 0 para o Always Ready, nesta terça-feira, pela 1ª rodada do grupo B da Conmebol Libertadores, o técnico do Internacional, Miguel Ángel Ramírez, admitiu que foi surpreendido pelo técnico da equipe boliviana, o argentino Omar Asad.

Asad assumiu o Always Ready há exatamente uma semana, na última terça-feira, mas, de acordo com Ramírez, mudou muito a equipe que era comandada pelo chileno Sebastián Núñez, que era a formação que ele havia estudado e se preparado para jogar contra.

Asad, aliás, fez seu 1º jogo pelo clube de El Alto justamente nesta terça.

“Treinamos uma coisa que foi modificada. Eles trocaram de treinador. Nossas informações eram baseadas em trabalhos anteriores. Não sabíamos bem como eles iriam se portar”, admitiu Ramírez.

“Tivemos de tomar decisões durante o jogo. Demoramos para entender. A partir do que vimos, mudamos a estrutura e fizemos as trocas. Tivemos desajustes. Não fizemos uma boa partida”, salientou.

O espanhol também explicou por que não usou Patrick, um dos grandes destaques do Inter, na partida desta terça.

“A mudança que fizemos no plano de jogo, íamos sair sem extremas, sem pontas. Então, tínhamos tirado os dois pontas para mudar nesse plano de jogo. Portanto, Patrick não ia ter oportunidades por estrutura. Precisávamos de outra coisa”, argumentou.

Por fim, o comandante pediu reação imediata do Colorado na Libertadores nas duas próximas partidas, que serão no Beira-Rio.

“Estamos preocupados porque queríamos ganhar e ficar com os três pontos. O resultado mais importante é o próximo. Agora vamos ter duas partidas em casa e temos de fazer os seis pontos para equilibrar, disputar os jogos que faltam e buscar a classificação”, finalizou.

Coletiva do técnico do Inter: