O Internacional vem passando por uma reestruturação financeira sob o comando da gestão do presidente Alessandro Barcellos. Ao longo de 2021, a diretoria cortou gastos e reduziu sua folha de pagamentos, tanto com o elenco quanto com funcionários. O clube projeta voltar com os investimentos na janela de transferências em dezembro e terá que pagar caro para manter um jogador no elenco.

“Nunca vamos deixar de mirar atletas de porte no mercado. Mas temos de ser responsáveis. Quando não fazemos movimento na janela, como outros clube fizeram, estamos recuando para voltar a avançar quando tivermos bala, e esperamos fazer isto ao final do ano”, afirmou o diretor executivo Paulo Bracks, em recente entrevista ao portal “Vozes do Gigante”.

Além de abrir os cofres para contratar, o Colorado precisará definir a situação de atletas em reta final de contrato. Ligado ao Porto, de Portugal, Renzo Saravia busca uma sequência no time após se recuperar de lesões e tem futuro incerto no Beira-Rio. O lateral-direito argentino está cedido pela segunda vez ao clube gaúcho, que tem a opção de realizar a compra.

Um terceiro pedido de empréstimo é visto como inviável nos bastidores e, com isso, a permanência se torna improvável. A cláusula de venda definida em contrato é de 8 milhões de euros (quase 50 R$ milhões), valor acima do que o Inter poderia pagar, segundo o site UOL Esporte. Envolver os direitos dos jovens Léo Borges e Peglow, cedidos ao Porto com opção de compra, seria uma alternativa.

Durante sua passagem pelo Beira-Rio, Saravia conviveu com lesões. Em setembro de 2020, rompeu o ligamento cruzado do joelho direito e ficou cerca de sete meses fora após realizar cirurgia. Já nesta temporada, precisou realizar artroscopia no joelho direito. O lateral soma 32 atuações pelo Colorado, com duas assistências no período.