O projeto para mais uma passagem de D’Alessandro pelo Beira-Rio ganha corpo. O Inter confecciona um plano para seduzir o histórico meia a participar de algumas partidas pelo Gauchão em 2022 e ter a sonhada despedida dos torcedores após encerrar a temporada no Nacional, do Uruguai.

O jogador de 40 anos cumpre os últimos dois meses e meio de contrato em Montevidéu. Atualmente, é reserva na equipe que ocupa o segundo lugar no Campeonato Uruguaio com 13 pontos, empatado com o rival Peñarol, mas atrás no saldo de gols (7 a 4).

Enquanto trabalha para ganhar mais oportunidades e ajudar o Bolso, D’Ale mantém uma ligação estreita com o clube gaúcho. Há conversas regulares com jogadores e dirigentes. Em agosto, inclusive, visitou o grupo no Centro de Treinamentos do Parque Gigante.

Nos debates, está em pauta a despedida com público. Algo que ficou impossibilitado no ano passado pela proibição de torcida em razão da pandemia do coronavírus. Na terceira passagem, o meia participaria dos jogos no Beira-Rio.

A relação emotiva com a torcida não seria a única. O meia realizaria o sonho de voltar a atuar com Taison. A dupla construiu uma amizade entre 2008 e 2010, antes da incursão do atual capitão colorado na Ucrânia. O atacante havia prometido o regresso ao clube do coração para repetir a dobradinha.

O que não ocorreu neste ano em campo. Mesmo assim, D’Alessandro esteve presente nas ações que promoveram o anúncio de Taison. Em um dos vídeos idealizados pelo clube gaúcho, o ídolo colorado “passa” a camisa 10 ao amigo.

O contrato mais curto de D’Alessandro o faria pendurar as chuteiras e mudar de posto em Porto Alegre depois de disputar o estadual. Ganharia um cargo no departamento de futebol colorado. O presidente Alessandro Barcellos é o grande entusiasta em ter o argentino no vestiário.

Ainda durante a eleição que o elevou ao cargo máximo, o hoje mandatário tinha como uma das promessas a inclusão de um coordenador-técnico, cargo que não foi preenchido ao longo do ano. Não há garantia, todavia, que seja esta a real posição a ser ocupada por D’Ale.

A função do argentino seria algo nos moldes do que Juan, companheiro de Inter entre 2012 e 2105, exerce no Flamengo. O ex-zagueiro é gerente-técnico no Ninho do Urubu.

Além de responsável por implantar a metodologia do profissional na base (em especial, a categoria sub-20), o ex-zagueiro também trabalha nos bastidores do “time de cima”.

Juan é um elo com o grupo principal do Flamengo. O carinho e idolatria que tem perante os jogadores o permite ser um conselheiro no dia a dia, mas também presente em campo para auxiliar em movimentos e comportamentos.

Posto que o meia teria no Centro de Treinamentos do Parque Gigante. Amigo de grande parte dos jogadores, D’Ale é visto como referência por outros tantos, que repetem o quanto admiram a postura dentro e fora dos gramados.

Simultaneamente, a família de D’Alessandro mantém viva a ligação com o Inter. Os filhos Martina e Santino estiveram no estádio e acompanharam a vitória por 3 a 1 sobre o América-MG na quarta-feira passada.

Até hoje, D’Ale teve duas passagens pelo Colorado. Esteve em campo em 517 partidas, o terceiro jogador que mais atuou no clube na história, com 95 gols e 113 assistências. Conquistou a Libertadores (2010), Recopa (2011), Sul-Americana (2008) e seis Gauchões (2009, 2011, 2012, 2013, 2014 e 2015).