O Inter espera solucionar a carência mais urgente do elenco no mês de maio. O clube aguarda o andamento do Gauchão e da Libertadores para avançar nas negociações por um zagueiro. Sem a possibilidade de anunciar um jogador para os torneios em vigência, o Colorado entende que deverá trazer mais um atleta apenas para a sequência da temporada. O objetivo é dar mais opções para variações táticas.

Ramírez. Atualmente, o espanhol tem três atletas frequentemente utilizados — o titular absoluto Víctor Cuesta, além de Zé Gabriel e Lucas Ribeiro, que se revezam ao lado do argentino. Ainda compõe o grupo profissional o jovem Pedro Henrique.

A avaliação é que não há pressa para anunciar um reforço para o setor. Não é possível inscrever um novo jogador na fase de grupos da Libertadores ou nas semifinais do torneio estadual. Por isso, o acréscimo só poderá ser colocado em campo a partir do início de Brasileirão e Copa do Brasil, previstos para o final de maio.

Outro motivo que colabora na justificativa é o foco para voltar a ganhar o Gauchão e garantir um bom posicionamento na disputa continental. Assim, evitar falar publicamente em reforços mantém o pensamento apenas nos próximos duelos dentro de campo. Também entende-se que a comissão técnica, com mais um zagueiro, poderá utilizar uma linha de três com mais regularidade, aumentando o repertório tático de Ramírez.

O departamento de futebol colorado avalia o mercado nacional e o Exterior. Como Rodrigo Moledo voltará apenas nos últimos meses de 2021, após cirurgia nos ligamentos do joelho, o objetivo é trazer um atleta com experiência e que possa disputar a titularidade, mas ninguém de “impacto” por conta das restrições financeiras no clube.

Além do defensor, os dirigentes observam o mercado por um lateral-esquerdo. Um volante, pelas recentes atuações de Dourado, Lindoso e Johnny, não é mais prioridade.